Skip to content

Exportando categorias e tags (WordPress)

27/11/2008

Como já anunciei em outro post, estamos migrando as tiras do xkcd para uma página individual e eu me encarreguei da parte técnica dessa migração. Instalei o WordPress no servidor do novo blog, comecei a configurar, instalar temas, etc. Tudo correu bem, até que chegou a hora de exportar as tiras deste blog para o novo. E agora? Como fas~

Quem já fuçou a interface administrativa do WordPress com certeza vai dizer: “Vai na opção importar, duh!”. E eu fui. O problema é que junto com as tiras do xkcd o arquivo exportado conteria todos os posts, todos os comentários, tags, categorias, trackbacks e etc que foram acumulados ao longo dos vários meses de existência do blog, tornando esta solução inviável, pois daria mais trabalho ter de ajeitar tudo depois de exportar do que refazer os posts um por um. Além do mais, o novo blog estava rejeitando o arquivo exportado, como uma criança pequena que se recusa a mastigar e cospe no prato um bolo de carne que não cabe na sua boca (???).

Eis que tive uma idéia genial legal (modéstia a parte, sou modesto). Fuçando na opção de importar do novo blog descobri que era possível importar posts a partir de um feed RSS. Pronto, tinha achado uma solução! Procurei no Google por uma forma de transformar categorias e tags em feeds usando os termos: wordpress “tag rss feed”. Clicando no primeiro resultado descobri que poderia transformar categorias e tags em feeds apenas acrescendo o URL da tag ou categoria de “/feed/”.

Exemplo: “https://icaju.wordpress.com/tag/Linux” + “/feed/” = Feed RSS da tag Linux do iCaju

Voilá! Estava pronto o feed para ser importado! Erm… na verdade não…

Quando fui exportar, descobri que a limitação do tamanho dos feeds (aquela mesmo, que fica em Configurações > Leitura, no painel administrativo do WordPress) se aplicava não só aos feeds normais de postagens e comentários, mas sim a todos os feeds do blog. Solução? Aumentar a quantidade de postagens nos feeds para o total de postagens que deseja importar. Claro.

Depois disso foi só abrir o novo feed, importar no novo blog e correr pro abraço. O código HTML dos feeds é alterado para se adaptar aos leitores de feed, de forma que junto com os posts foram também uma boa quantidade de tags inúteis para a visualização no blog. Ainda assim, creio que daria mais trabalho importar todos os posts.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: