Skip to content

Novo supercomputador na UFRJ

09/05/2008

O Rio de Janeiro pode chamar atenção por ser uma das mais violentas capitais, mas desta vez o que chama a atenção é o seu supercomputador localizado no núcleo de computação eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Com um alto poder de processamento, que chega a 21.7 teraflops, o Netuno, nome dado ao supercomputador, beneficiará 14 instituições brasileiras de ensino que integram redes de pesquisa. Seu custo de 5 milhões de reais foi pago por duas redes temáticas criadas pela Petrobrás, a Rede de Geofísica Aplicada e a Rede de Modelagem e Observação Oceanográfica.

Esse dinheiro todo foi bem gasto ou não com 256 servidores Dell de alto desempenho, tendo cada um dois processadores com quatro núcleos cada, com um clock de 2.6Ghz, daí que vem todos os 21.7 teraflops. Os 256 servidores são integrados por uma rede de alta velocidade, para processamento paralelo.

Tanto poder de processamento rendeu ao Netuno um lugarzinho entre as 500 maiores máquinas de processamento paralelo. A UFRJ teve a honra de receber esse supercomputador por ser um dos pólos tecnológicos da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e também devido à sua proximidade com o Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes).

A cada dia o Brasil vem evoluindo, ainda que em passos lentos e pequenos, mas é melhor do que nada. O dia que teremos tecnologia de ponta a nossa volta esta chegando.

Fonte:PCWorld, IDGNow

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. 09/05/2008 16:14

    hum… Vou comprar um desses para mim!!!!

    Um forte abraço!!!

  2. 09/05/2008 16:45

    Aproveita que ele está na promoção, apenas 5 milhões.

  3. Hunter permalink
    09/05/2008 16:54

    Será que vai vir com win vista ou XP SP3?

  4. 10/05/2008 20:33

    É incrível como só as universidades públicas têm condições de investir em tecnologia realmente de ponta. Quando falamos em supercomputadores, análise climática e sismológica, topologia, inteligência artificial, sempre é uma universidade pública (várias vezes Federal) que desenvolve a pesquisa e gera resultados. Será que as particulares nunca vão conseguir se sobressair?

  5. 10/05/2008 21:35

    Bem difícil pois numa instituição particular, tem no máximo 10mil contribuintes, ao passo que as federais tem o Brasil inteiro pagando, então a renda disponível para as federais é de longe a maior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: