Skip to content

VAGRANT, O QUE, COMO, ONDE, PORQUE?

31/07/2015

Vagrant é uma ferramenta que provê ambientes virtuais. Ele nada mais é que um integrador entre o desenvolvimento e as tarefas operacionais existentes durante a vida de um software. O foco desta ferramenta é automatizar a criação de ambientes e facilitar a aplicação do DevOps.Muitos questionam o uso do Vagrant com a premissa que o wamp/lamp/mamp funciona bem. Isso não deixa de ser verdade, porém quando o cenário muda, para um desenvolvimento com equipes grandes e diversos ambientes, esses pacotes com Apache, PHP e MySQL/MariaDB não atendem. É fácil perceber o motivo.

Quando a santíssima trindade da web é executada em uma máquina ela se limita aos recursos da mesma e roda sob as configurações que lhe são dadas. Isso acarreta num problema comum onde cada desenvolvedor possui uma configuração diferente entre si e entre os outros ambientes, produção, homologação, pré-produção, por exemplo. Os problemas não param aí, basta vermos como é fácil instalar o apache e php sem wamp no Windows. Isso quando os programas possuem versões para diversas plataformas. Como solução, pode se usar o Vagrant que através da virtualização permite que os ambientes sejam exatamente iguais, deste modo resolve-se o antigo problema: “Works for me!”

Para o lado operacional a facilidade de criar novos ambientes aumenta exponencialmente. Além disso evita o trabalho de passar horas instalando e configurando todos os pacotes necessários, permitindo que o tempo seja investido em atividades de otimização. Uma dúvida bastante comum é que o tempo gasto configurando uma máquina será igual ao de criar os arquivos de configuração do Vagrant. De fato é válido esse questionamento, porem com Vagrant este é feito somente uma vez e não cada vez que um desenvolvedor adentra ao projeto, além de existir sites que automatizam a criação dos scripts.

A pergunta de vossas mentes agora deve ser: “Mas o quão fácil é utilizar esse Vagrant.” A utilização é bem simples basta alguns comandos.

$ vagrant init precise32 http://files.vagrantup.com/precise32.box

$ vagrant up

Com os comandos acima, você terá uma máquina rodando Linux Precise Pangolin 32 bits sem nada instalado. Para fazer a configuração da máquina basta criar um shell script com os pacotes e configurações a realizar. O custo disso tudo é zero, pois a ferramenta é gratuita. Para mais informações de como utilizar e instalar é só acessar o site do Vagrant

Como foi 2013 para o iCaju

31/12/2013

The WordPress.com stats helper monkeys prepared a 2013 annual report for this blog.

Here’s an excerpt:

The concert hall at the Sydney Opera House holds 2,700 people. This blog was viewed about 50,000 times in 2013. If it were a concert at Sydney Opera House, it would take about 19 sold-out performances for that many people to see it.

Click here to see the complete report.

A vida depois do Facebook

25/02/2013

Hoje completa duas semanas sem usar o Facebook. Parece um discurso de viciado, mas não foge muito da realidade. Senti-me na obrigação de compartilhar com vós como foi e está sendo minha experiência.

O motivo pra me ausentar da rede social foi um só. Eu estava num ponto crítico onde eu abria o Facebook porque tinha esquecido o que ia fazer, quando lembrava dava uma ultima olhada nos alertas e fechava a janela. Então antes que eu conseguisse voltar a fazer o que estava fazendo eu me esquecia e então abria novamente o Facebook. Dá pra perceber no que vai dar isso. (um loop, para os que não perceberam)

Assim que me dei conta disso eu gritei a mim mesmo, “aaaahhhh!!! preciso parar com isso!!!” dai então removi todas as imagens e acesso aos meus escritos da timeline e desloguei da rede. Assim que fiz isso me deparei com a seguinte indagação: “O que faço agora?” Foi nesse momento que me lembrei do que deveria estar fazendo. Prossegui então na minha tarefa. Esse ocorrido foi no trabalho, minha produtividade lá deve ter aumentado.

Em casa no primeiro final de semana, nunca li, vi ou fiz tanta coisa. Meu leitor de feeds voltou a ativa e a todo vapor, afinal tenho mas de 2 meses de feeds não lidos acumulados. Depois de ler algumas centenas, estava enjoado de tanta coisa, fui então escrever pro iCaju, esse é o motivo da existência desse post. Além disso instalei um AP no andar superior. Para isso furei parede, passei fio, subi no forro (espaço entre lage e telhado) fiz tomada, um parto seria mais tranquilo.

A mais recente atividade que não ocorreria na presença do Facebook foi a iniciação de um projeto de cubo de led com arduino uno. Um tipo esse aqui:

Vendo de fora hoje percebo o quão negativo pode ser quando se é um usuário da rede social se usado com pouco ou sem controle. Além disso percebi a inutilidade e a falta de graça que ele tem. Não pretendo mais voltar a utilizar o Facebook, apesar de ficar um pouco de fora das piadinhas e não conseguir compartilhar coisas com amigos e ver compartilhamentos. O que mais faz falta é isso, a parte social da coisa, que pode ser suprido com uma ida a um pub bacana com os amigos.

Quando o PC top vira lixo.

11/02/2013

Sei que faz uma era geológica que não escrevemos nada para o blog, mas assim é a vida, temos que definir nosso foco e infelizmente não foi o iCaju. Entretanto amamos ele e escreveremos posts até que a morte nos separe.

Faz uns 6 anos mais ou menos que comprei meu computador. Comprei ele num tempo onde os valores e crenças eram diferentes. Formando em técnico de manutenção de microcomputadores e redes, eu estava deslumbrado com o mundo do hardware. Todo meu conhecimento na ponta da língua. Clock, barramento, waffer de silício, socket e tudo mais.

Pra não dizer que o curso foi inútil, negociei com meu pai um computador novo com a desculpa que era pra treinar o aprendizado do curso. Consegui duas coisas, um pc e saber que tenho uma boa lábia.

O que interessa é o pc, escolhi cada peça detalhadamente, vi tudo. Analisei desde o clock até a arquitetura. Depois de duas semanas montei uma maquina com o que julguei ser melhor na época. Era a seguinte core 2 quad de 2.4GHz  (recém lançado), 4Gb ram 800MHz, HD 500GB, gravador DVD, placa-mãe intel DP35DP, a placa de vídeo era irrelevante de tão fraca.

Essa era minha maquina, gastei mais 900 reais nela depois disso. Os motivos foram placa de vídeo melhor, substituição das memorias e nova placa-mãe. Isso foi a uns 2 anos, mas o inimigo agora é outro. Algumas partes da máquina já não me atendem bem e estão problemáticas, as memórias e o HD são um deles. Porém na hora de pesquisar peças eis uma surpresa. Elas estão sumindo do mercado e ficando caras.

Tentei de todo jeito, pensei em várias soluções, mas tive que aceitar a realidade, meu pc vai morrer em breve. Como não existe compatibilidade entre a tecnologia dele e a da atual, pra substituir uma peça terei que trocar as outras. Um pc novo e um gasto enorme são iminentes.

Fico aqui aproveitando cada dia como último, até o dia que ele quebrar. O destino foi selado, pc velho obrigado por todos os pornôs e jogos jogados pela metade, pc novo aí vamos nós!!!

Como diminuir a temperatura do CPU com custos

10/07/2012

A muito tempo escrevi aqui no blog, sobre como reduzir a temperatura do CPU sem custos. Foi um sucesso, ou não. Mas o fato é que trouxe visitas. Deste modo resolvi escrever dicas para reduzir mais ainda a temperatura, só que desta vez com custos, do mais baixo, ao mais alto e mais eficiente.

Pra começar, vamos categorizar os tipos de refrigeração existentes:

O tipo mais comum são os coolers.  Ao contrário do que muitos pensam, o cooler não é somente o ventilador, ou fan no inglês. Ele é o conjunto do fan com o dissipador, este é aquele bloco de alumínio (geralmente). Esse equipamento é o mais comum e pode ser barato ou muito caro, tão caro quanto um computador inteiro.

Leia mais…

Atenção este veic..celular está sendo roubado…

17/03/2012

Olá pessoal é o Leandro Perini que vos escreve. Recebemos um relato, que um leitor nos enviou, que teve seu celular perdido e depois tentado ser roubado e recuperado. Espero que o texto ajude a muitos e eleve a confiança  no funcionamento do Avast Mobile.

Leia mais…

Samsung Galaxy Y: A introdução de baixo custo aos smartphones

13/03/2012

Precisei trocar o celular devido a alguns incidentes envolvendo meu celular antigo. Primeiro até pensei em comprar outro celular barato, caso estragasse era só jogar fora e comprar outro… mas isso seria desperdício de dinheiro e só serviria para poluir o meio ambiente.

Pensando um pouco melhor, resolvi partir para o meu primeiro smartphone. Procurando o smartphone com Android que estivesse mais em conta, achei três modelos: ZTE Racer, Samsung Galaxy 5 e Samsung Galaxy Y.

Fui numa loja testar o ZTE Racer (conhecido no Brasil como ZTE X850), mas este modelo me desagradou demais. A resposta da tela é horrível, é bem lerdo e usa um Android desatualizado sem possibilidade (oficial) de atualização. E segundo “infeliz usuário” (sic) deste modelo, a bateria é uma piada. De mal gosto. Aguenta por volta de 1h15 de conversação e cerca de 8h em stand-by.

Eu nunca fui muito fã da Samsung ou dos celulares dela, entretanto o Galaxy 5 (compatível com CyanogenMod não oficial) e o Galaxy Y me interessaram.

Uma coisa engraçada é que, apesar de eles terem sidos lançados com quase um ano de diferença, ambos ainda custam praticamente a MESMA coisa, então optei pelo mais recente…

...o Galaxy Y.

Com aproximadamente duas semanas de uso, posso adiantar: eu gostei! Leia mais…

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 117 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: