Skip to content

Aprendendo a programar com Pascal e software livre

22/12/2008

Quem leu o título e programa em outra linguagem deve ter pensado: “Pascal? Alguém ainda usa isso?!!”. Apesar de já conversar com várias coisas legais como GTK+ e MySQL, Pascal não é uma linguagem das mais populares, por outro lado ela ainda é bastante usada no aprendizado de lógica de programação por causa de sua sintaxe simples, por ser bastante estruturada e fortemente tipada.

Algumas escolas que ensinam lógica de programação usam o compilador Turbo Pascal, que foi descontinuado pela Borland em 1995 para que ela pudesse se dedicar ao Delphi, e como o seu código é fechado ele parou no tempo desde então. Outra opção bastante usada é o compilador e IDE nacional Pascal ZIM! que foi desenvolvido na Universidade de Brasília para as matérias introdutórias à lógica de programação, por isso sua implementação do Pascal pode ser definida como um Turbo Pascal bastante simplificado e, em algumas tarefas, bugado.

No curso de desenvolvimento de sofware do SENAI,  a ovelha negra que usa Linux na sala (eu) fiquei meio prejudicado, pois o Pascal ZIM! que usávamos na sala não rodava bem na versão do wine que eu tinha instalada (agora já está bem melhor). Tive de me virar e correr atrás de compilador e IDE pra Linux para poder praticar os assuntos das aulas e a melhor solução que encontrei, e que compartilho aqui, foi usar o compilador Free Pascal junto com o IDE Geany.

As ferramentas

O uso do Free Pascal é até meio óbvio, porque ele é simplesmente o melhor compilador Pascal que existe atualmente: compila para várias plataformas, é rápido e estável, compatível com a implementação de Pascal do Turbo Pascal e com Delphi (mas nem tanto)  e roda em vários sistemas operacionais. Por mera coincidência ele é software livre ;). Para instalar o Free Pascal em sua distro basta procurar no gerenciador de pacotes por “fpc” ou “freepascal” e marcar o pacote principal para instalação. Se você usa Windows, pode baixar o instalador aqui.

Quanto ao IDE, não há necessidade de usar um para aprender a programar. Um editor de texto simples, como o GEdit e o KWrite, que destaque a sintaxe do código já é suficiente, mas se eles (os IDE’s) existem e estão aí para aumentar a nossa produtividade, porque não usá-los, não é mesmo? Depois de instalar o Free Pascal, e descobrir que não ia com a cara do IDE dele, eu fui atrás de outro para substituí-lo e me recomendaram o Geany, que se tornou meu companheiro de todos projetos desde então, seja em Pascal, Shell Script, HTML, CSS e até mesmo quando eu quero enviar um arquivo de texto pra um usuário de Windows, pois ele lida de forma excelente com codificações e formatos de quebra de linha. Para instalá-lo basta seguir o mesmo procedimento do Free Pascal: Repositório para os Linuxers e download para os Winusers.

Mãos à obra

Para usar o compilador basta digitar o comando e o caminho do fonte que deseja compilar, assim:

fpc olamundo.pas

No caso do Windows é necessário informar também o caminho do compilador, assim:

C:\FPC\2.2.2\bin\i386-win32\fpc olamundo.pas

É claro que o compilador aceita várias opções, mas eu nunca precisei de nenhuma delas, apesar de ter curiosidade de saber para que servem. O fpc vai retornar algumas informações como o caminho do fonte, os erros no código com sua localização (linha, coluna) caso existam, vai mostrar o tempo gasto na compilação e depois vai linkar o código-objeto. Então o compilador terá criado (na mesma pasta do código) um arquivo executável e um arquivo .o (o código-objeto) que não será mais necessário e portanto pode ser deletado.

Botão de arquivo novo

Esta seta.

Para utilizar o Geany basta abrir o programa e ir em Documento > Definir tipo de arquivo > Linguagens de programação > Arquivo-fonte Pascal. Informando ao editor a linguagem com a qual você está trabalhando você pode usar alguns recursos como ocultar blocos de código, destaque de sintaxe, completar código, e por último mas não menos importante, definir como o IDE deve compilar o código. Também dá pra começar o código usando um template, para isso clique na seta ao lado do ícone de arquivo novo e depois em Arquivo-fonte Pascal. O Geany coloca um cabeçalho no arquivo com seu nome e email (que podem ser configurados facilmente) e um resumo da GPL, além de já deixar pronta a estrutura básica do programa. Eu pessoalmente prefiro criar um arquivo em branco e definir o tipo de documento. Sabe aquela sensação gostosa que dá quando você vê uma folha de papel branquinha na sua frente esperando para ser riscada? :)

Feito isto precisamos definir qual o compilador que o Geany deve usar para os fontes em Pascal. Para isso vá no menu Construir e escolha a opção Definir includes e argumentos. Esta janela se abrirá:

includes_argumentosTanto no Linux como no Windows o Geany vai vir pré-configurado desse jeito. No campo compilar você simplesmente descreve o comando que seria usado no terminal para compilar o código, podendo acrescentar opções e parâmetros e o campo executar é melhor deixar do jeito que vem porque funciona nos dois sistemas operacionais. :D

compilar (F8) e executar (F5)

Dois botões muito úteis: compilar (F8) e executar (F5)

Se você já instalou o Free Pascal e está usando Linux era só apertar F8 ou o botão Compilar e conferir se tudo correu bem através da barra de mensagens na parte inferior da tela. Caso esteja usando Windows, aí começam os problemas: o Geany foi claramente feito pensando nos usuários de Linux, talvez por isso a versão Windows falhe em alguns recursos importantes. Para o botão funcionar conserte o comando usado para compilar da forma que foi dita alguns parágrafos atrás, lembrando que se o caminho do arquivo contiver espaços você terá de colocar o caminho entre aspas, e cuidado para não apagar o “%f” no final da linha, pois ele é necessário para que o Geany informe a localização do código para o compilador.

No Windows essas mensagens não aparecem

Estas mensagens não apareceriam no Windows

Outra má notícia para os usuários de Windows (talvez a pior): o Geany não consegue mostrar as mensagens do compilador, só diz se a compilação falhou ou não. Enquanto está compilando ele abre uma janela do terminal, as mensagens vão aparecendo ali e quando ele termina a janela é fechada. Desse jeito não dá pra ver as mensagens de erro do compilador e o Geany não consegue sublinhar as linhas com erro no código. A saída é abrir uma janela do terminal e compilar por lá. Isso ocorre porque o Windows não suporta emulação de terminal virtual, como está descrito aqui.

UPDATE: As últimas versões do Geany já estão sublinhando as linhas com erro no código, de acordo com as mensagens do compilador. Por enquanto nada de suporte a terminal virtual. =/

Se você chegou até aqui já está tudo pronto para começar a programar. Vale a pena dar uma olhada no menu Editar > Preferências para deixar o Geany com a sua cara. Dá pra ajustar desde o modo de indentação até os botões que aparecem na barra de ferramentas. Além dos que foram citados aqui, o Geany tem muitos recursos que te ajudam a escrever o código, e que você vai descobrindo com o uso do programa. Se você está a procura de um bom tutorial de Pascal recomendo este e este, ambos em inglês. Bom proveito!

Veja outros artigos sobre software.
Para ver mais artigos do Mamutti clique aqui.

About these ads
17 Comentários leave one →
  1. 23/12/2008 12:04

    Opa, artigo interessante. Precisei modificar um projeto que eu desenvolvi e ai vai uma dica para quem programa com Delphi, use o Lazarus (http://www.lazarus.freepascal.org) é um GUI de Delphi para Linux, muito interessante e jé vem com alguns componentes instalados.

  2. 23/12/2008 15:00

    @Mayron: Já tentei usar o Lazarus uma vez, mas como eu ainda não entendo quase nada de orientação a objetos e Delphi ele me pareceu complicado. Mas fica aí a dica para quem mexe com Delphi. :)

  3. 30/12/2008 7:39

    Excelente artigo, gostei muito, quando estudei pascal tive que usar o TurboPascal ultrapassado, mas não busquei outra alternativas pois na época meu SO padrão ainda era o Win, também gostei da dica:

    “quando eu quero enviar um arquivo de texto pra um usuário de Windows, pois ele lida de forma excelente com codificações e formatos de quebra de linha.”

    Embora eu não tenha mais esse problema, quando alterava um arquivo texto no Linux e abria no Windows, as quebras ficavam malucas, rsrs, bom saber que o Geany facilita isso, já o havia usado no Windows em substituto ao Shareware TextPad, mas para as necessidades daquele momento me faltou a seleção em blocos(colunas) do texto.

    Abraço

  4. ademar permalink
    02/05/2010 23:56

    cara vc é um genio!

    valeu isto era o que eu precisava, pq eu tbm sou um pinguim solitario em uma sala de facu cheia de janelas e maçãs!

    abçs!

  5. 28/07/2010 15:20

    Rpz … muito bom o seu artigo … estava procurando uma ferramenta como esta …

    Parabéns!!

  6. Andre permalink
    04/11/2010 20:14

    Achei o geany muito bom. Deu pra ficar me divertindo com o pascal … Tenho o ubuntu mas não sou nenhum expert em linux, sou apenas usuário…Por exemplo: como faço pra rodar o executável que gerei com o Geany?
    Sds

    • Darth Vader permalink
      06/11/2010 20:21

      Basta apenas digitar no terminal sudo ./nomedoarquivo

      • 13/11/2010 2:29

        O sudo significa que você está executando o comando com permissões de administrador. Para isso você precisa, além (é claro) de ter permissões de administrador, ter certeza absoluta de que o programa que você está executando não tem o menor risco de prejudicar o seu sistema. Ou seja, não faça isso. Um programinha em Pascal provavelmente não precisará usar recursos administrativos, então use apenas ‘./nomedoarquivo’ como eu disse no outro comentário.

    • 13/11/2010 1:27

      Se você está iniciando no Pascal provavelmente seus programas não possuem interface gráfica. Você pode executá-los apertando o botão executar no Geany (acho que F5 é um atalho para esse botão), mas isso você já deve saber.

      Imagino que esteja perguntando como rodar o executável fora do Geany. Se você simplesmente for até a pasta onde ele está e der dois clique ele será executado, mas você não vai ver nada, pois se trata de um programa com interface modo texto.

      Para ver a saída do seu programa, abra um terminal (Aplicativos > Console/Terminal) e navegue até a pasta onde está o executável (usando o comando ‘cd nome_da_pasta/subpasta’) e depois digite ‘./nome_do_executavel’. Se o geany gerou o código na sua pasta home (aquela com o ícone de casinha) você só precisa dar o segundo comando. O ‘./’ no começo do comando significa para o terminal que você está chamando um executável que está na pasta atual, ele substitui o ponto pelo caminho completo da pasta; a barra indica que você está acessando aquela pasta. Tem um motivo pra ser assim, mas não vou te sobrecarregar com mais essa informação. :)

      Se tiver alguma dúvida pode perguntar, ok?

  7. Auron permalink
    14/05/2011 8:51

    muito legal.
    essa dica foi muito boa.
    não sabia que o Geany dava suporte a pascal.

    O projeto GNU tem também um copilador de pascal
    vc já usou ele?

    • 26/05/2011 22:44

      Não testei porque ouvi dizer que não era muito bom, e o projeto parece meio abandonado (o freepascal também, mas é menos).

  8. 23/02/2013 9:01

    ?Não da pra postar um tutorial mais simplificado não?

Trackbacks

  1. O GTK e o Pascal - I « Philss
  2. Fique por dentro Compilador » Blog Archive » Aprendendo a programar com Pascal e software livre
  3. Retrospectiva I « iCaju
  4. Glossário virtual em Python e Glade – parte I « iCaju
  5. O GTK e o Pascal – I | Philip Sampaio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 226 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: